101 coisas em 1001 dias

Eu gosto muito das ideias da frozinha Biessa, e achei muito legal fazer uma listinha de metas. Tudo bem que deu um trabalho danado pra fazer. Tudo bem que essas “listinhas de ano novo” são todas promessas que gostaríamos de cumprir, mas nunca será. BUT, é tanta coisa possível e importante, que mesmo que não se cumpra tudo, vai valer a pena tudo o que der certo. Então, vamulá:

101 coisas em 1001 dias
Início: 07/01/2014
Término: 03/10/2016

Status:
– itens realizados
– itens em andamento
– itens não realizados/desistência/mudei de ideia

Família/casa
1.       Faxineira 1x por semana.
2.       Castrar Lisa. (minha gatinha)
3.       Não deixar livros/folhas de prova/trabalhos acumulados espalhados pela mesa da sala.
4.       Cozinhar para os amigos.
5.       Jantar com os primos, pelo menos, 2x por ano.
6.       Comprar um sofá confortável.
7.       Mudar para um apartamento.
8.       Comprar uma cama nova pra Marina.
9.       Comprar uma cama nova pra mim.
10.   Comprar uma Apple TV.
11.   Trocar meu Iphone por um modelo mais novo.
12.   Comprar uma luminária style para colocar ao lado da minha cama.
13.   Encher a parede do meu quarto com fotos.
14.   Comprar mais prateleiras, inclusive para o box.
15.   Comprar um computador para Marina.
16.   Tentar convencer Marina que o quarto dela é mais legal que o meu.
17.   Tentar convencer Marina que a cama dela é melhor que a minha.
18.   Comprar uma escrivaninha para Marina.

Saúde/beleza
19.   Manter o cabelo curto. SIM!
20.   Emagrecer, pelo menos, 5 kg. (Engordei 20 kg quando engravidei. Perdi 10 depois q minha filha nasceu. Se eu conseguir perder 5, ficarei feliz da vida! Tento, preguiçosamente, há quase 7 anos)
21.   Parar de procurar o dentista só em caso de emergência.
22.   Ter uma alimentação mais saudável.
23.   Praticar alguma atividade física que não envolva puxar/levantar pesos.
24.   Fazer uma tatuagem no pé.
25.   Ir mais vezes à praia.
26.   Comprar mais acessórios “moda praia”.
27.   Investir mais em maquiagem.
28.   Parar com a preguiça de me maquiar.
29.   Ter o hábito de levar batom na bolsa.
30.   Parar de fazer sobrancelhas em casa.
31.   Voltar ao oftalmologista.
32.   Fazer óculos novos.
33.   Comprar cremes anti-age, principalmente para área dos olhos.
34.   Tomar mais sucos.
35. Tomar menos Coca-cola
36.   Procurar algo (médico/dieta/atividade física) que ACABE com minha dor na coluna.
37.   Parar com a preguiça de fazer saladas.
38.   Comer menos frituras.
39.   Voltar a fazer terapia.
40.   Pagar um plano de saúde pra mim.
41.   Apaixonar-se.
42.   Beber mais água.
43.   Não acordar tarde, mesmo nas férias/feriados.

Vida intelectual
44.   Fazer uma pós.
45.   Assistir a mais filmes “estrangeiros”.
46.   Ler, pelo menos, um livro por mês.
47.   Conseguir criar um grupo de leitura. Com direito a cafezinho à tarde.
48.   Criar uma oficina de escritores com meus alunos.
49.   Escrever, pelo menos, 1 vez por mês no meu blog pessoal.

Organização
50.   Organizar as fotos de Marina, desde que eu estava grávida.
51.   Revelar todas as fotos organizadas.
52.   Criar um álbum com tais fotos.
53.   Comprar algum “porta sabão em pó”, porque a caixa de papel fica molenga.
54.   Comprar um pote grande para guardar ração de gato.
55.   Preciso de alguma coisa também para guardar temperos!

Dinheiro
56.   Encontrar um lugar pra morar onde a relação custoXbenefício seja perfeita.
57.   Poupar dinheiro mensalmente.
58.   Dar prioridade ao necessário.
59.   Diminuir com o delivery.
60.   ECOMONIZAR LUZ!
61.   Cancelar 90% dos e-mails cheios de promoções imperdíveis.
62.   Parar com essa mania de achar que preciso de TUDO ao mesmo tempo agora.
63.   Voltar a juntar moedas no cofrinho

Lazer/viagens
64.   Levar minha filha pra andar de avião.
65.   Conhecer Foz do Iguaçu.
66.   Ir pra SP para levar Marina ao show do One Direction, aproveitar e conhecer azamiga tudo.
67.   Comer num restaurante delicioso, ir a um centro cultural e ir pra night paulista. Tudo em um dia só!
68.   Fazer uma trilha nível LEVÍSSIMO.
69.   Tirar passaporte. (meu e de Marina)
70.   Providenciar a carteira de identidade de Marina.
71.   Fazer uma viagem internacional com Marina. (Qualquer uma)
72.  Conhecer Ilha Grande.
73.   Ir ao Cristo Redendor.
74.   Conhecer Curitiba NO INVERNO.
75.   Levar Marina para conhecer a neve!
76.   Levar Marina para nadar com peixinhos!
77.   Aproveitar feriados para fazer absolutamente nada.
78.   Ir ao cinema que não seja para assistir a filmes infantis.
79.   Não desistir de assistir aos episódios de Modern family, porque ADORO, mas esqueço.
80.   Conhecer o MAR (Museu de Arte do Rio).
81.   Ir ao teatro. Acho que não vou há uns 10 anos.
82.   Tomar banho de cachoeira.
83.  Ir ali em Paquetá.

Diversos
84.   Escrever outro livro.
85.   Ter mais vasos de flores em casa.
86.   Comprar um abridor de vinhos.
87.   Experimentar mais vinhos.
88.   Experimentar comida japonesa. (uma que dê certo)
89.   Experimentar segredo 1.
90.   Praticar mais segredo 2.
91.   Segredo 3 sempre!
92.   Caso faça uma trilha, comprar um tênis bom pra isso. Coluna agradece.
93.   Lembrar de fazer alongamento todos os dias antes de sair pra trabalhar.
94.   Ler mais livros de autoajuda. (eu gosto)
95.   Ler/ouvir mais noticiários.
96.   Fazer um piquenique!
97.   Parar de comer podreiras na hora do recreio!
98.   Não me acomodar, em qualquer área da minha vida.
99.   Renovar a minha fé.
100.Socializar mais com amigas(os) de trabalho.
101.  Atualizar a lista a cada conquista. ;-)

Dezembro, seu lindo

161840581Ah, como adoro dezembro. É o mês da esperança, das férias, da família, do amor. É o mês que traz de volta a sensação de poder recomeçar, corrigindo nossos erros e aguardando novas oportunidades. É o mês que, de repente, somos preenchidos pela necessidade de ser solidários, de perdoar, ou quem sabe, SE perdoar.

A pergunta enigmática é: por que somos arrebatados por toda essa bondade, sensibilidade, apenas nessa época tão comercial do ano? Como uma boa consumista, sou facilmente convencida de que todas as pessoas que amo merecem um presente especial, principalmente eu. A gente gasta rios de dinheiro, inclusive o que não tem, para se sentir mais feliz e em harmonia com o mundo. Um plano friamente calculado.

Mas, cá entre nós, na boa: ainda bem. Ainda bem que existe, pelo menos, uma época do ano que traz nossa crise existencial à tona. O mundo vai continuar o mesmo com ou sem o Natal/Ano Novo, mas não nos permitimos terminar o ano com uma tarefa inacabada. Como terminar o ano sem encontrar aqueles amigos queridos? Ora, tivemos o ano inteiro, por que a pressa agora? Para mim, sinceramente, não importa o porquê. Eu só consigo dar graças a Deus que existe o compromisso inadiável de estar perto de quem a gente ama.

Todavia, fechamos mais um ciclo e abrimos outro. O ano foi ruim? Abrace seus amigos, seus filhos, sua família. Vambora renovar as forças para tirar as pedras do caminho, sacudir a poeira e dar a volta por cima. Não foi isso que nos ensinaram? E se o ano foi bom, sim, abrace seus amigos, seus filhos, sua família. Vambora ser mais feliz! E, em todos os casos, anote o número do meu telefone, porque ser feliz e andar para frente é tudo que desejo em qualquer época do ano.

Ai, como estou Polyana. Aproveitem, porque é só em dezembro.

A tradição nos ensina que Cristo veio ao mundo para nos mostrar como amar ao próximo. Porque, a gente sabe que não é nada fácil, principalmente quando se trata de muitos próximos. Em minha defesa, apesar de não amar tantos próximos, os que amo têm de mim tudo que meu coração pode lhes dar. Ou quase isso.

Que dezembro nos contagie o ano inteiro. Que o amor seja sempre o motivo e renove nossas esperanças.
Um feliz Natal para você, para toda sua família, e todo amor que houver nessa vida para nós.

Artes vitrais

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não para…

Todo mundo já se quebrou em milhares de pedaços diversas vezes. Esses cacos a gente consegue juntar um por um tentando criar uma nova arte. São pedacinhos da gente que precisam de encaixes diferentes para que tenhamos a sensação do novo, do poder recomeçar e se refazer.

Atualmente encontro-me recompondo, recriando meus caquinhos, um por um, tentando achar simetria, beleza ou algo que me traga a sensação de que está tudo novo de novo.

Não é fácil se reconstruir com a autoestima dilacerada. Não é algo que me sinto à vontade em expor, mas o maior inimigo da fé somos nós mesmos, que sabemos muito bem que é mais fácil juntar todos os cacos e jogar fora do que recomeçar. Já desisti de muitos sonhos, caminhos… mas, por incrível que pareça (ou por sobrevivência), não consegui ainda desistir de mim.

Estou aqui olhando meus montes de cacos no chão. Tenho a sensação de que meus tão delicados cacos são de vitrais coloridos e que meu cuidado ao recompor resultará em alguma obra de arte. Algo que possa fazer com que esses pequenos espelhinhos consigam refletir a luz que timidamente prefiro esconder.

Uma amiga fez uma viagem recentemente, e, contagiada desde então, vivo com a impressão de que ela foi se catar por. Nada como lidar com si mesma, ter a oportunidade de se ouvir e ver que existe um mundo muito além de nós. Além desses nossos medinhos infames, dessas nossas besteirinhas e dessa chatice, sujeira, mesmice, má fé e ignorância coletiva, que nos cercam involuntariamente todos os dias.

É preciso ter paciência. A minha pressa de ser feliz fez de mim uma arte mal feita. Por mim.

Ainda bem que percebi a tempo, acredito. Ainda bem que acredito.

Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara…
(Lenine)

Bem-vindo, 2012

Ok, preciso dizer para vocês que meu ano de 2011 foi uma MERDA. Decidi começar meu texto com essa frase impactante, simplesmente porque não tinha outra forma de expressar ou definir em apenas uma frase o decorrer de um ano INTEIRO.

Comparando com problemas que atingem a humanidade, sou mero grão de areia. Mas, vocês precisam saber que, sim, as pessoas adoecem emocionalmente. Passei o ano de 2011 com a cabeça completamente fudida. Através de outros olhos ganhei vários adjetivos, todos ofensivos ou depreciativos, afinal, não fui capaz de realizar uma tarefa completa. Larguei pós-graduação, projetos, minha casa ficou às moscas e não conseguia mais trabalhar. Os remédios me ajudaram a não chorar 24h por dia, mas falhei em todas as tentativas em fazer algo por mim.

A gente não precisa de crítica negativa para ter consciência que precisar andar para frente, entende? Isso é chutar cachorro morto. Tive dias felizes, sim, mas quando não conseguia pensar em absolutamente nada sobre a minha existência. Aqueles dias que a gente conversa com alguma amiga(o) que adora sorrir. Eu também gosto! Se você se preocupa comigo, querida(o), me faça sorrir! Não fale nada que não me faça abrir um sorriso, a não ser que eu te pergunte. Aliás, isso deveria estar no estatuto dos direitos humanos.

Certa vez fui atropelada. Fiquei alguns segundos inconsciente, sem saber o que havia acontecido, no entanto percebi que estava caída no meio da rua e não conseguia levantar. Não conseguia gritar por socorro e nem me movimentar, mas tinha consciência que um outro carro poderia me atropelar de novo se não conseguisse sair dali. Alguém me ajudou, me levou para calçada… eu estava consciente, mas não sabia direito o que estava acontecendo. Dei o número da casa dos meus pais para alguém me buscar e levar ao médico, porque tudo doía. Pensaí.

Com a chegada de um novo ano, renovo meu coração de esperanças. Que eu pare de me sentir culpada por tristezas que não me pertencem. Que eu me cobre menos lealdade. Que eu não tenha necessidade de tantas verdades. Que eu mantenha serenidade com o que não entendo ou não se explica. Que eu tenha sabedoria com o que não me acrescenta. Que eu tenha paciência com a ignorância. Que eu aprenda a ver com o olhos, e menos com o coração. Que eu seja menos emotiva, sem perder a sensibilidade. E principalmente: que eu aprenda que conviver comigo mesma é super fácil. A gente nasce dinamite, e quem nos ama sabe nos manter em temperatura adequada. (li isso hoje em algum lugar)

No fundo acho que reclamo de barriga cheia, porque tenho todos os motivos para ser feliz todo dia. Não quero ser mal agradecida e nem parecer infeliz. Na verdade, em 2011 não tive motivos para ser infeliz. A angústia veio da sensação de ser sempre a pessoa errada, no lugar errado, quem sabe, no planeta errado. Acontece.

Um pouco de sonho

Dia 7: Uma foto de um sonho

Gente, mas são tantos. Taaaantos. Sei que de tantos eu deveria escolher aquele maior, aquele que está acima de qualquer um deles. Mas, de qual lista devo escolher? Dos sonhos possíveis ou dos impossíveis?

Ah, entendi… é a foto de UM sonho… não precisa ser o maior deles, se é possível ou impossível. Pensei em falar em paz mundial ou que Deus jogasse uma chuva com porções de caráter, para gente parar de julgar quem tem ou quem não tem, baseado em que, onde está escrito, quem foi que disse. Se todo mundo tem, não tem mais por que discutir o certo e errado. Mas, tô achando esse papo entediante.

No momento o meu sonho é que Marina pare de conversar comigo enquanto escrevo, mas…pensando melhor, eu poderia sonhar com alguma habilidade NINJA de conversar com uma criança e escrever ao mesmo tempo. Tadinha.

Também queria parar de avacalhar meus textos, mas não resisto. Sonho em ser uma escritora, dessas impecáveis e geniais (suspiros), mas é irresistível falar bobagens. Quem não sonha em ter um poder mutante? Ai, eu sonho, principalmente quando estou dando aula. E se eu falar que sonho em dar uns beijos quentíssimos no Fábio Assunção? Alô, Ego! Estou falando que quero o Fábio Assunção!

Estão imaginando Clarice Lispector dizendo que queria dar uns amassos quentes em Fábio Assunção?

Oh, céus.

Nem ligo.

Marina disse que seu sonho é voar num dragão. Sonho de criança ou ela está começando a se parecer com a mãe?

Concluindo… difícil escolher a imagem de um sonho que me represente. Inclusive estou aqui na sala sonhando com vários subalternos, e uma delas me perguntando o que quero para o jantar. No entanto, há uma boa notícia: lembram de Oz? Sim, ainda é o meu maior sonho. Aquele que idealizo e suspiro com todo meu coração.

Beijos, amores.

Beijos, amoras.

Ter sonhos é ter esperança. Esse é o combustível da vida.