Um dia frio, um bom lugar pra ler um livro…

Nos relacionamentos sempre existem um divisor de águas. Digo, para a mulher, sempre vai existir aquele homem que é referência em sua vida, independente do que sobrou dessa relação. Particularmente tenho alguém que é referência TOP para todos os assuntos ruins. E isso nem tem a ver com gostar dele mais do que tudo no universo. Não sei por que motivo, ninguém foi tão prejudicial à minha saúde emocional quanto ele. No entanto, nada mais no mundo parece ser tão perfeito quando o assunto é sexo.

Não sei qual é a fórmula. Não sei por que tudo parece tão harmonioso. Nenhum outro corpo se encaixa tão perfeitamente ao seu. Não sei se é o universo conspirando. Não sei se é karma. Não sei se é intimidade. Não sei se é química… Mas, sempre tenho a sensação que está faltando alguma coisa quando estou com outra pessoa.

Outro dia eu estava meio decepcionada. Um fulaninho que veio aqui. Desde então prometi a mim mesma que nunca mais traria alguém à minha casa, já que não tenho a opção de ir embora. Ele era ótimo, me diverti a beça, mas… Nada mais que um colega divertido. A noite foi longa… No outro dia eu estava com aquela sensação estranha de que tudo foi mais ou menos e que fiz parte do meu pior pesadelo: dormir mal, com um “estranho” que tomou conta da minha cama e da minha coberta. E, porra, não tinha nem o cheiro gostoso. Uó. Vamos virar essa página, por favor.

No entanto, num dia frio, num bom lugar para ler um livro, alguém chamou minha atenção. Aliás, alguém que sempre chamou minha atenção. Alguma coisa nele mexe com os meus sentidos, como se tudo nele a gente tivesse vontade de experimentar. Não é amor, não é amizade, ele não é muito legal e eu não sei nada direito sobre ele. Ele é aquele tipo que a gente quer chegar perto. E era com ele que eu queria estar. Quebrei a minha promessa e o trouxe aqui. Minha casa, meu mundo, minha cama, meu bom lugar para ler um livro e ele. Não lembro o que a gente conversou. Lembro das músicas que a gente ouviu…e lembro que eu queria que ele ficasse. Os sorrisos eram na hora certa. As mãos sabiam sua hora, seu lugar e aonde ir. Eu estava apaixonada. Eu estava apaixonada por mim…por ele, pela música, pelo vinho, pela minha cama que estava maravilhosa, pela graça dos detalhes, pela sutileza de duas pessoas que queriam estar juntas naquele momento. Dormi com preguiça de acordar e sem saber por que eu tinha que levantar. Fica mais? Passa o dia comigo? Por que ele tem que ir?

Os dias passaram e eu o queria de novo. E de novo. E de novo.

Achei esquisito não ter aquela sensação de que algo estava faltando. O comparei com o TOP, e tinha certeza que o TOP me provaria por A+B, que ele sempre foi o maioral e que sou facilmente influenciável por olhares lindos e momentos apaixonantes, que o outro me deu.

Daí que fui encontrar o TOP. Foi tudo TOP. Tudo perfeito. Era ele, gente! Nessas horas eu sempre tenho certeza de que ele é o amor da minha vida e que isso não vai mudar nunca. Só teve UM problema: foi a primeira vez, com ele, que senti que estava faltando alguma coisa. Quero ir embora dormir sozinha.

Quero meus dias frios de volta.

Anúncios