Cinquenta tons de cinza

Taí um livro que você ama ou odeia. Decidi ler, porque não aquentava mais a curiosidade: quem seria esse tão misterioso Christian Grey que as mulheres não param de falar? O que tem de tão sensacional neste livro que tem causado tanta polêmica? Acabei de ler o primeiro da trilogia, e acho que consegui resumir minha impressão numa única frase: o protagonista é um príncipe que FODE. Aliás, que fode COM FORÇA.

Ora, o livro não é nenhuma obra de arte. É meio mal escrito ou, talvez, mal traduzido. Cheio de clichês… O que me lembrou romances que lia quando era adolescente. Todos lindos e inteligentes. Aliás, a mocinha acaba de se formar na faculdade e ELE é um multimilionário lindo de morrer. No entanto, esse gatchenho fofo é um leão sadomasoquista, que cisma com ela, sabe-se Deus lá o porquê. Totalmente hipnotizada (periquita pegando fogo), ela aceita ou não ser submissa a esse homem lindo, que lhe enche de presentes e sexo sensacional? “Proposta indecente” com Robert Redford é molinho. Foi o que pensei.

Se você é feminista, não leia o livro. Se não se envolve com clichês e um texto meia-boca, também não. BUT, se você adora suspirar pelo príncipe encantado que FODE, a hora é essa. Ele é lindo, multimilionário, atencioso, protetor e QUER VOCÊ SÓ PRA ELE, legalmente, inclusive. Casamento? Não. Ele quer que você seja DELE. Se obedecer, ele recompensa com prazeres inimagináveis… mas, se não…é castigada. Muah!

De quebra, ele é loucamente apaixonado por ela. Droga, queria que fosse por mim. Claro que ele não é muito certo da cabeça, tem um passado misterioso e é cheio de merdinha, mas GENTE, eu quero ele pra mim, e é isso que TODAS QUÉ quando lê o livro. Esqueci dos clichês, dos tapas (de cinto!) que levou na bunda por desobedecer, e, claro, meu lado feminista. Mas, cá entre nós, é um ponto de vista interessante. O que as mulheres querem afinal? Será que no fundo é disso que gostamos? Sofrer? Não. Dor física? Não. Alguém que consiga dominar todos os nossos sentidos? Ai, ai, ai. Ao invés de sonhar com famosas cenas de amor, agora sonhamos/imaginamos/idealizamos aquele homem apaixonado que Adora. Foder. Com. Força.?

Olha, acho que isso é uma boa notícia, viu? Pensem nisso.

monte carlo tv festival 090610

Anúncios

11 comentários em “Cinquenta tons de cinza

  1. É simples: toda mulher quer um homem que foda bem, que não ‘amoleça’ facilmente, que não seja babaca (só às vezes, ok, porque nenhum deles é a perfeição) e que faça coisas românticas.

    Ah, claro. E que respeite quando ela não estiver “pronta” na hora que ele quer. — Detalhe importantíssimo.

    Ok que quando eu li esse livro, sabia que uma hora ia surgir o lado romântico do Cristhian. No terceiro livro, eu já torcia para que ele exorcizasse todos os demônios e pudesse foder a Ana em paz. ~ Ok que eu ficaria feliz em me colocar no lugar da Ana (sem a parte BDSM, please, que tô fora! ~ e viver em paz.

    Anyway…

    Grey tem todos os atributos de um homem escandalosamente gostoso, e que faz toda mulher suspirar.

    Acrescento mais um “if” à lista: SE a mulher em questão for submissa ao marido, vai parar de ler o livro por ficar com vergonha do que ele vai pensar se ela pedir pra tomar uns tapinhas.

    Eu também não me apego a clichês. Achei o livro bem escrito? Ok, (muito pouco) bem escrito. Mas, o que eu achei mais legal foi que a E.L. James conta de um jeito que parece que ela tá simplesmente conversando comigo, e não numa linguagem Sabrina, tipo “Meus seios altamente entumescentes se alegravam assim que notava sua glande crescente na minha frente” ou coisa que o valha. hahahaha

    Dá sim pra falar de sexo sem ser vulgar sim, e, mesmo com o tema polêmico desse livro, acho que ela conseguiu. E com louvor.

    É isso. :)

    Beijo

    1. Mariana é das minhas! Mas eu ainda complemento: no terceiro da vontade largar tudo e ir procurar um Christian pra vc! Hahahhaha! O terceiro é AINDA MELHOR!

  2. Acho q vou me arriscar a ler em Inglês, hein.

    Certamente terei um puta incentivo pra fazer esse exercício da língua.

    (Essa “língua” acabou parecendo sexual ou foi só eu que fiquei com o “fode.com.força” na cabeça?)

    1. Eu não tenho nem CORAGEM de dizer que o Christian é só meu, Dani. Patrimônio da humanidade, menina! HAHAHAHHAHA Beeeeeeeeeijos!

  3. Amigammmm… Adorei o texto. Quem não quer ser a Ana? Duvideo-dó que tenha quem não queira ser amada looooucamente daquele jeito. Meio “louco demais”? Pode ser. BUT, preciso dizer que algumas perguntas do teu texto serão respondidas quando leres o segundo e o terceiro. E outras vc verá que estão precocemente afirmadas também. Enfim… Eu NÃO sou feminista. NÃO sou intelectual. NÃO sou (tão) anti clichês. Sou é romântica! E de um jeito meio “torto”, a história é um prato cheio para aquelas que, como eu, suspiram, choram, riem e até xingam os personagens. Quanto a tradução nem vou opinar. Como ja comentamos, a versão em português do TÍTULO já é tosca, imagino o texto integral.
    Enfim, termino dizendo que A MELHOR PARTE foi a foto do Ian no final. Nosso Christian Grey tem essa cara LINDA aí néaaaammm?
    Beijos, hearts & flowers pra nós! ;)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s