Ser ou não ser…

Da última vez que fiquei sozinha em casa me senti gente grande. Fui ao boteco da esquina e comprei um engradado de Ice. Calorzão, casa só para mim, eu, meus pensamentos e Ice. Combinação perfeita para relaxar e deixar a imaginação fluir. Tinha esperança de criar algo sensacional, refletir sobre a vida, existência, paz, amor…algo meio Bob Marley com 5% de álcool.

O resultado disso foi que não escrevi UMA linha, e achei que todas as pessoas do mundo estariam morrendo de vontade de falar comigo ao celular. Não lembro de alguém ter atendido. Talvez porque era madrugada. Talvez porque era Carnaval. Ou talvez porque não queriam mesmo…afinal, o que os ex teriam que ouvir de mim naquele momento tão…tão…inusitado – ou seria inconveniente?

Também vomitei o quarto e o banheiro. Oh, céus. Fiquei deitada na cama me sentindo uma lombriga bêbada e fedida. Achei que morreria sozinha. Pouco digno para uma mãe de família morrer, porque bebeu sozinha, e PIOR: ICE. Aliás, humilhante. Aliás, adolescente.

Hoje estou sozinha em casa. Ao contrário da última vez, permaneço uma mãe exemplar, que passou o dia e a noite inteira deitadinha assistindo aos filmes debaixo de um aconchegante edredom. A chuvinha lá fora conforta ainda mais o cenário. Em momento algum pensei em ser gente grande de novo, digo, adolescente. Pensei em me olhar no espelho para ver se me animo ou reconheço que devo voltar a me cuidar. Conforto é bom, no entanto, se sentir bonita também faz bem. Mas, cá entre nós, estou com preguiça de olhar…sei que vai dar um trabalho danado, e aqui tá tãããão quentinho.

Vou lá ler um pouco mais, para pensar um pouco mais, para ver se existo um pouco mais.

Anúncios

7 comentários em “Ser ou não ser…

  1. Há tempos não passava por aqui … e sempre que passo é a mesma sensação! Vivemos histórias muito parecidas … por vezes cheias de responsabilidades, outras tantas tentando ser adolescente mais uma vez …chego a conclusão de que não podemos ficar sozinhas amiga … as crianças são nossas algemas ao solo … comigo é assim rsrsrs quando não estão por perto, me transformo e volto aos, 17,18, 19, 20, 21 … q saudade rsrsrs !!!

  2. Ice não, né, amigam. Tem que ser que nem a mulherada das séries, que fica sozinha em casa curtindo um vinho tinto.
    Alilás, maridon está viajando, estou super lonely em casa. Adivinha se não dei um pulinho no mercado e comprei um vinho da região da Toscana? Não precisa entornar a garrafa toda, uma tacinha à noite, vendo TV, comendo um queijinho, dá aquela tonteirinha boa pra dormir e uma sensação de “sou chique, benhê”.
    Watch and learn, babe.

      1. Inclui na próxima lista de mercado! Um conjuntinho de 6 peças simplesinhas (como as minhas) não chega a 30 pilas, se comprar avulsa então… O fato de não ser cristal a gente compensa na pose de reeca phyna. Não esquece de comprar também o saca-rolhas.

  3. Pleno feriado,( mas, eu particularmente estou aqui na senzala), gostei muito de teu texto, tua reflexão, curtindo uma lembrança de uma outra folguinha, porém a la adolescencia, época que não volta mais, por mais que queiramos nos comportar tal como, não funciona mais, o corpo pode até aceitar, mas a mente “no,no,no”,(Emy, como diz o refrão da musica tema dos A.A. ) é isso ái, aproveita o edredon, o filme, e tudo o mais que vc tiver direito. gostei da foto, o macaquinho tá pensando se é privilégio ter esta raça (humana ?) como descendência ( segundo a ciência que nunca prova ) uo não. ser ou não ser, eis questão…abraço, gosto muito de tuas reflexoes e textos.
    Emy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s