Educação sentimental

Ser professora é complicado. Não, calma… antes que você pare de ler aqui, devo dizer que não vou divagar sobre toda uma questão social. Não, não. Hoje estou aqui para revelar que somos uma das maiores fantasias que habitam no estranho mundo imaginário dos alunos. Sério.

Dia desses descobri que um aluno andava com uma foto minha no seu celular. Tem sempre os que perguntam pelo meu marido. Tem o que adora me mandar poesias. O que escreve “Te amo” em todo final de prova. Falando assim parece que estamos num fantástico mundo gay, e não numa sala de aula com todos aqueles problemas sociais (culturais etc.) que a gente já conhece. Mas sempre vi tudo isso com bom humor, até porque alunos são muito respeitosos, principalmente adolescentes.

Certa vez me pediram para dar aulas à noite. Fiquei receosa, porque eu nunca havia dado aulas para alunos tão mais velhos. Achei que seriam agressivos, desrespeitosos e que só queriam nota para ter um diploma e trabalhar em paz. Puro preconceito meu. As aulas eram bem mais produtivas e os alunos mais interessados. E, sim, no mundo imaginário masculino a professora estava lá ouvindo perguntas sobre a vida pessoal e piadinhas muito mais diretas. E meu bom humor sempre conseguiu estabelecer total respeito nessa relação diária.

Pois bem, mas havia um. Um que era diferente. Adulto, claro, mas o mais “popular” da escola. Todas suspiravam por ele. De quebra era um ótimo aluno, gentil, bem educado, interessado e com excelentes notas. Comigo ele era um doce, e sempre que tinha oportunidade, me elogiava. Sentava perto de mim todos os dias e todo final de aula me acompanhava e me ajudava com os materiais. Um fofo.

Um dia fui chamada na direção. Havia um boato de que o aluno estava me importunando, e se havia necessidade de chamar sua atenção. Não, de jeito nenhum. Platão entende muito bem essas coisas, né? Deixa o cara em paz. Porém, para que boatos não piorassem decidi que uma aluna, e não mais ele, me ajudaria no final das aulas. Tsc, de partir o coração.

Festa de formatura. Eu estava orgulhosa deles… uma turma tão bacana e tão corajosa. É um daqueles momentos que você sente que faz a diferença, sabe? E lá estava ele, no auge: arrumado, bonito, orgulhoso e com a família. No final da cerimônia veio, com a namorada, falar comigo. Até me posicionei estrategicamente para que aquela cena ficasse bem vista, e transformasse aquele antigo boato em apenas um mal entendido.

No final da festa, só um grupo de professores presentes, de repente aparece ele atrás de mim. Disse que tinha algo para me falar. Nos afastamos um pouquinho, e ele me dá uma rosa. (aaaummm)

– Guardei para você.

– Obrigada…

– Preciso te confessar que queria que você fosse minha namorada…Só não conta pra minha namorada, tá?

Um professor bêbado improvisou um guardanapo, que virou uma faixa “Galvão, eu já sabia!”.

Complicado.

Anúncios

11 comentários em “Educação sentimental

  1. Dany, saudades do seu talento desde o antigo blog que vc escrevia e que eu amava, não sabia que vc tinha retornado, que delícia! amo os seus textos, amo de paixão! A maneira como vc fala de Marina, tão doce, tão calorosa, e seu refinado bom-humor. Que bom ter te achado de novo!

    beijos!

    1. Bem que eu estava sentindo sua falta por aqui… Achei que já soubesse do novo blog, pq quase sempre atualiza lá no Twitter… Mas vc andou sumida tb, né? De qualquer forma, beeeeemmmmm-vinda de novo! ;-)

      Beiiiijo, vizinha!

  2. Na minha primeira faculdade tinha vários professores que ficavam com alunas, uns até casaram com alunas, e outros apenas chifravam suas esposas com elas. É realmente uma fantasia recorrente…
    E se os meus professores mais horrendos conquistavam alunas pelo simples fato de estarem no tablado, imagino só o que se passa na mente dos alunos de uma professora bonitona, charmosa e marrenta como minha irmãzinhaummmm… hohoho
    Viva o amor platônico, né, gente?

  3. Adorei o texto e acredite…ri um bocado ao final!
    Estou nesse ramo também, mas até isso acontecer vai demorar um pouco (eu acredito)! Por enquanto só aconteceu de a minha pessoinha se apaixonar pelo professor de física do cursinho que por sinal era casado, tinha filhos e se parecia com meu ex! Era uma verdadeira tara q eu tinha por ele!!!!

  4. Ai, esses boatos de professora com aluno são quase que tradição de quem dá aula pra “jovens adultos”, né não?!! rs…

    Todo mundo já foi apaixonado por um professor ou professora. rs… Ate hoje eu não entendo direito pq.

    Q eu saiba, os únicos apaixonados por mim tem entre 6 e 8 anos (e eles dizem “Teacher, vc é liiinnnda” com tanta veêmencia q eu estou quase ficando metida.)

    Qdo eu dava aula pra adulto, eu é q me apaixonava por eles! hahaha Cada aluno bonitão!! ;)

  5. “Só não conta pra minha namorada, tá?”

    Esse ainda tá aprendendo a ser Cafa.

    Não sei se eu sou quem você acha que eu sou, mas costumávamos nos falar pelo msn, o meu era “linemartinez@hotmail.com” e hoje em dia é “aline.m.muniz@hotmail.com”. Qualquer coisa chama!! rs

    Bjs, querida (e esse querida nem é aquele queeeridammmm, é querida mesmo!)

    1. Lembro de uma Aline que tinha um blog com o mesmo nome que o seu…acho que com a mesma foto…mas isso faz teeeeempo. Eu acho que é você, sim, né?

      Beijo, frô querida (tb é querida, mesmo!)! ;-)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s